Um pouco sobre a percussão.

O post de hoje é desticksdicado ao naipe mais antigo e ao mesmo tempo mais novo, original e variado da orquestra: a percussão. O naipe é antigo pois conta com os tímpanos, empregados já nas primeiras orquestras barrocas e ele é novo porque conta com instrumentos que só foram compor a orquestra no século XX, como o vibrafone. É também original, já que se apropria de objetos que não são necessariamente instrumentos musicais, mas que são aplicados ao contexto musical, como folha de zinco, buzinas e sirenes. Depois destes exemplos, fica fácil deduzir o porquê de eu ter caracterizado o naipe de percussão como variado. A percussão abrange uma quantidade tão grande de instrumentos tão diferentes que eu não conheço percussionista que conheça e toque todos os instrumentos de percussão existentes no mundo! Mas, a percussão na orquestra possui um padrão de instrumentos os quais (aí, sim) todos os percussionistas de orquestras conhecem e estudam. São estes instrumentos que vou abordar por aqui.

Para começo de conversa, a percussão se divide entre os instrumentos de som determinado (aqueles que possuem uma nota definida e são afinados, como os tímpanos e teclados barrafônicos) e os de som indeterminado (aqueles que exprimem o ritmo e uma relação de alturas entre grave e agudo, mas que não é definida, como a caixa-clara, o triângulo, os pratos e o bombo).

O primeiro a entrar na orquestra, como já sabemos, foram os tímpanos. Tocados por um único instrumentista, o timpanista, inicialmente, as orquestras empregavam dois tímpanos, que chamamos de par central. Com o tempo, um maior, com o intuito de abranger notas mtimpanos na orquestraais graves, foi acrescentado, depois um menor, para chegar em notas mais agudas. Nesta conta já estamos com quatro tímpanos, muito utilizados a partir do período romântico. Porém, esta conta cresceu e hoje em dia não é difícil encontrar música para seis tímpanos, isso sem falar nas músicas que empregam mais de um timpanista. Aliado ao aumento da quantidade de tímpanos na orquestra, houve também a modernização do instrumento, uma vez que os primeiros tímpanos do barroco têm sua afinação ajustada pela regulagem uma a um dos parafusos que prendem sua pele e os tímpanos modernos tem sua afinação regulada (além pelos já conhecidos parafusos) pelo uso de um pedal na base, o que propicia uma troca de afinação mais ágil.

 

timpanos barroco

Tímpanos barroco

timpanos contemporâneo

Tímpanos atuais. Observe o pedal na base.

 

 

 

 

 

 

 

Bom, para não me alongar muito, vou comentar sobre os demais instrumentos que compõe o naipe de percussão nas próximas postagens. E, como é sempre bom não nunca deixar de ouvir música, deixo este solo de tímpanos como sugestão.

Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s